Black fridayPowered by Rock Convert

Nenhum outro modelo de carro se tornou tão popular no mundo como o velho e bom Fusquinha. Em seus quase 90 anos, ele virou personagem de filme e nome de música. Também já foi carro de presidente e, até hoje, é uma paixão nacional. Além, claro, de ser um dos poucos modelos de época a serem facilmente avistados ainda nos dias atuais pelas ruas do Brasil.

Por esse motivo, como também somos apaixonados por ele, preparamos um post só para falar um pouquinho sobre a evolução do Fusca. E sobre suas principais curiosidades!

Se você também curte o carro mais simpático e querido da história, continue conosco até o final e surpreenda-se! Vamos começar? Então, bora lá!

Quando tudo começou?

Os primeiros protótipos do Fusca começaram a ganhar forma na década de 30, mais especificamente em 1935. Quando, de fato, o primeiro modelo finalmente ganhou forma, com 4 rodas e um motor a ar, simples e robusto. Já em 1938, Adolf Hitler solicita, oficialmente, a Fernand Porsche (isso mesmo, o Fusca foi produzido pela Porsche), a primeira produção em massa do automóvel. E assim, nasce a Volkswagen, que significa carro do povo.

A ideia era possibilitar a fabricação de um carro de baixo custo e, ao mesmo tempo resistente, robusto e de fácil manutenção. Além, claro, de muito estiloso. E a prova de que o objetivo foi atingido é a quantidade de veículos vendidos e que duram até os dias de hoje.

Quando o Fusca chegou ao Brasil?

A evolução do Fusca brasileiro teve início em 1953, quando as primeiras versões começaram a ser montadas e entregues por um galpão na cidade de São Paulo.

A partir de 1959, ele passa, oficialmente, a ser produzido no país até o ano de 1986. Sendo assim, o automóvel se tornou um dos modelos que duraram mais tempo de produção no Brasil, ao lado de sua irmã Kombi, que conseguiu virar o século.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

E, basicamente, como se deu a evolução do Fusca?

Do primeiro modelo até a reinvenção do New Beetle modemo, é possível dizer que pouca coisa mudou. Em especial no seu design arredondado e na sua incrível capacidade de espaço interno (quem nunca viu um amontoado de gente de boa dentro do Fusquinha?). Tirando esse último modelo, o motor a ar também não teve grandes alterações durante a evolução do Fusca. Vamos conhecer alguns modelos de todos os tempos:

Anos 50

Entre as principais características, estão a janelinha traseira dividida em duas partes e as famosas setas “bananinhas” que saíam das colunas das portas.

Anos 60

A janela traseira aumenta e surge o motor 1.300, conhecido pela sua economia de consumo na época.

Anos 70

Poucos detalhes tornam o Fusca mais refinado e moderno. Surge também o 1.500, chamado de Fuscão, por apresentar mais força e potência entre os modelos antigos. As vendas estouram no Brasil.

Anos 80

A principal característica é o farol arredondado na traseira, o que dá o apelido eternizado ao modelo de Fusca Fafá, em referência à cantora Fafá de Belém. Essa versão também ficou famosa por causa do presidente Itamar Franco, que possuía um exemplar.

Anos 2000

Todo repaginado e já com um motor moderno, o New Beetle aparece em um salão de Detroit em 1999. Fazendo ressurgir o velho e querido Fusca numa versão mais atual e confortável.

Enfim, esse é o resumo sobre a evolução do Fusca. Sua existência no mundo, em relação à sua fabricação, durou até 2003. Sendo, o México, o último país a aposentar o veículo mais querido da história da indústria automobilística! Mesmo assim, ainda no Brasil, não é difícil encontrar esse velho guerreiro rodando pelas ruas e estradas do país. E, por isso, ainda é uma paixão nacional para muitos admiradores, inclusive, tornando-se cada vez mais um artigo de coleção.

Curtiu o post? Se você também curte Fuscas, não deixe de compartilhar o artigo em suas redes sociais, além de marcar aqueles camaradas que também são apaixonados pelo carro!