Se há uma afirmativa verdadeira é esta: onde há pelos, há problemas. Se falarmos dos cabelos, podemos dizer que podem ser ressecados, com pontas duplas, oleosos ou quebradiços. Se falarmos da barba, os problemas também aparecem. É justamente ali que eles costumam encravar.

Nos últimos anos, os homens passaram a adotar com mais frequência o uso da barba, isso porque o visual deixou de ser um estigma para se tornar algo relacionado à beleza.

Não são todos os homens, porém, que aderem à moda, seja porque a barba não é bem-vinda no ambiente de trabalho ou nos grupos sociais que frequenta, ou porque simplesmente não gostam.

Mas para alguns homens, quanto mais se faz barba, mais frequente são os pelos encravados.

É possível combater o problema?

Sim, com algumas medidas. O encravamento acontece quando o pelo, que está debaixo da pele, não consegue romper essa barreira. Os pelos vão continuar crescendo, mas como não conseguem sair, se voltam e penetram novamente sobre a própria raiz.

Se forem fios enrolados ou grossos, o problema é mais comum ainda. Em outros casos, a raiz do pelo encravado pode inflamar e, com qualquer ferimento na barba, bactérias que vivem no nosso corpo penetram no organismo, trazendo infecção, também conhecida como foliculite.

Normalmente, o próprio corpo se encarrega de cuidar do problema. Em outros casos, é necessário buscar ajuda médica.

Dicas essenciais que evitam os pelos encravados

  • Esfolie a região uma vez por semana: aposte em um produto específico para a barba e faça a esfoliação, pelo menos, uma vez por semana, de preferência, um dia antes do processo da depilação;
  • Nunca depile a barba sem umedecê-la antes: a pele precisa estar úmida antes de você retirar os pelos. Sendo assim, o recomendado é utilizar água morna e gel ou espuma para barbear, pois a água morna auxilia os poros a se dilatarem;
  • Hidratação é essencial: depois de feita a esfoliação e a depilação, é hora de hidratar a pele. Hoje, existem produtos no mercado destinados exclusivamente para a barba. Uma outra possibilidade é utilizar soro fisiológico após a última lavagem, pois é altamente hidratante e ajuda a pele a se recuperar da vermelhidão;
  • Cuidado com lâminas já usadas: é importante que a lâmina esteja com um bom corte, caso contrário, as diversas passadas sobre o rosto irão irritar os folículos. Também é importante retirar com água o excesso de pelos que fica grudado. Preste atenção àquela fita lubrificante e, qualquer sinal de desgaste, é indicação de que precisa trocar o aparelho.

Escanhoar a barba, aqui mora o perigo

Para quem desconhece o termo, escanhoar significa raspar os pelos na direção contrária ao crescimento. Embora faça com que os fios fiquem bem rentes à pele, acaba por contribuir para pelos encravados.

É como se a lâmina empurrasse, de fato, os pelos para a própria raiz.

A orientação, portanto, é depilar os fios conforme a direção em que crescem, principalmente se você já percebeu bolinhas no rosto após o processo de fazer a barba.

Tente mudar o método de se barbear

Caso a lâmina traga complicações para a sua pele, verifique outros métodos de depilação. O barbeador elétrico, por exemplo, irrita menos a pele e traz uniformidade aos fios.

Outras possibilidades são o creme depilatório, que é aplicado sobre a pele e necessita de alguns minutos para agir e a depilação a laser, que costuma trazer resultados mais duradouros para quem, realmente, não aprecia pelos no rosto.

Existe também a possibilidade de deixar a barba crescer.

O que achou das dicas? Leia mais, em nosso site, os estilos de barba que estão em alta!